Skip to main content
Analytics e BIPareto Ads

O que é RPA (Robotic Process Automation): o guia completo sobre o assunto

By janeiro 27, 2022fevereiro 8th, 2022No Comments
robotic-process-automation-header

É notório o aumento relacionado ao uso da tecnologia, almejando proporcionar otimizações de inúmeros processos nas empresas. Nesse viés, visando efetuar a otimização dessas tarefas, o uso das RPAs (Robotic Process Automation) contribuem para tornar desde tarefas simples até as mais complexas, automatizadas.

Neste artigo, vamos conceituar, apresentar as vantagens, dentre outros tópicos relacionados às RPAs. Tendo em vista que existem muitos mitos sobre o tema, eles serão desmistificados ao longo do texto.

O que é RPA (Robotic Process Automation)

RPA é a sigla para Automação Robótica de Processos (Robotic Process Automation – RPA), e pode ser descrita como aplicações tecnológicas de software nas quais são criados robôs virtuais que possuem capacidade de aprender, efetuar simulações e executar determinados processos baseados em condicionais e parâmetros pré-definidos de negócio.

As RPAs almejam automatizar principalmente processos corporativos frequentes e repetitivos, que exigem ação humana mecânica e demorada, podendo ser aplicadas nos mais diversos segmentos da empresa. 

O uso de RPA pode ser implementado em diversos processos e setores, independente do segmento do negócio. No contexto de marketing e vendas, uma das possibilidades é o uso visando automatizar ações complexas em um sistema de CRM, por exemplo.

Qual é o objetivo principal de uma RPA (Robotic Process Automation)?

O principal objetivo de uma RPA é: ao passo que elas automatizam demandas repetitivas e operacionais dentro de uma organização, proporcionam autonomia e possibilitam que os colaboradores foquem sua jornada de trabalho efetuando demandas estratégicas e com maior impacto nos resultados do negócio. 

Dessa forma, ocorre a distribuição de tarefas manuais e operacionais da empresa que exigem bastante tempo das equipes para realizá-las. Assim, as RPAs assumem esse papel e, consequentemente, há a reumanização das pessoas.

Assim sendo, os colaboradores podem focar em atividades que exigem um grau mais sofisticado de criatividade e potencial estratégico, agregando mais valor em diversas vertentes do negócio e aos seus clientes.

Qual a diferença da RPA para os outros processos de automação?

Com relação à diferença das RPAs comparada aos demais processos de automação, é perceptível que as RPAs possuem particularidades que a diferenciam de outros tipos de ferramentas com propósito de automação corporativa.

Caso assim seja configurada, a RPA possui capacidade de atuar 24 horas por dia durante os 7 dias da semana, por não exigir acompanhamento constante ou intervenção das atividades humanas. Tudo é efetuado de maneira automática, com maior capacidade de flexibilização quando comparado a outros processos de automação.

RPAs no Marketing em números

Com relação ao cenário das RPAs no setor de marketing,  o contexto é bem positivo. Abaixo, você encontra alguns indicadores que exemplificam a importância do uso de RPAs: 

  • Segundo a Pesquisa Global RPA da Deloitte, 92% dos entrevistados afirmaram que as RPAs atenderam ou superaram as expectativas definidas com relação a melhor conformidade;
  • De acordo com a Pegasystems,  63% dos executivos globais afirmaram que a atualização de RPAs é um recurso crucial para ser adotado na transformação digital;
  • Conforme a Forrester, 57% das organizações afirmam que o uso de RPAs reduz os erros manuais;
  • De acordo com a Forrester, cerca de 57% dos executivos acreditam que as RPAs aumentam o engajamento dos colaboradores.
  • Com base na Forrester, 60% dos executivos validam que as RPAs possibilitam a concentração em um trabalho mais estratégico por parte das pessoas;
  • Segundo pesquisa da UiPath, 68% dos funcionários mundiais confiam que a aplicação de automação os tornará mais produtivos.

Quais são as vantagens do uso das RPAs (Robotic Process Automation)?

Cada vez mais, surge a necessidade de realizarmos ações estratégicas que permitam com que continuemos fortes no mercado, seja em prol de uma marca, serviço ou produto. Entretanto, um dos maiores desafios nesse processo criativo é o tempo. É frequente haver uma alta demanda de trabalho, contando com muitas tarefas repetitivas e sem caráter estratégico, porém necessárias para a empresa.

É aí que entram as Robotic Process Automation! As RPAs agem com a perspectiva de nos permitir economizar tempo de trabalho e focar em tarefas que exigem mais da nossa criatividade. Por isso, as principais vantagens do uso das RPAs são: 

  1. Otimização de tempo e produtividade
  2. Redução de erros de execução e processo
  3. Redução de custos
  4. Foco em atividades mais estratégicas
  5. Relatórios com dados mais precisos e em tempo hábil

RPA (Robotic Process Automation) – Exemplos de uso

Com relação aos exemplos de uso das RPAs (Robotic Process Automation) nas empresas, é possível dizer que elas podem ser implementadas em diversas áreas e processos com diversas funções ou, uma em específico.

Visando tornar a visualização dos processos de uma RPA mais próximo de algo comumente vivenciado, os exemplos abaixo ilustram algumas aplicações:

  • Geração de relatórios;
  • Envio de notificações por e-mail com cobranças para clientes inadimplentes;
  • Integração do CRM à Mídia Paga (plataformas de anúncio, como Google Ads e Facebook Ads);
  • Análise de compras fraudulentas no e-commerce;
  • Realização de  cálculos e análises complexas com os dados da empresa;
  • Gerenciamento do processamento de dados de performance dos colaboradores.

5 dicas para implementar RPA na sua empresa

Tendo em vista o potencial colaborativo que as RPAs possuem, é de suma importância que a implantação da tecnologia seja efetuada de acordo com um planejamento pré definido e alinhado com os objetivos da organização. Almejando, assim, o máximo de performance nos processos.

Para alcançar isso, é extremamente recomendado seguir os seguintes passos:

1. Mapear as necessidades

Antes do desenvolvimento de qualquer solução, é de suma importância observar os processos que a sua empresa possui e quais as “dores” que precisam ser sanadas. Assim, o mapeamento das necessidades e requisitos possibilita identificar as principais atividades que devem ser ajustadas ou inseridas na implementação da RPA na sua empresa.

 

2. Analisar os melhores softwares

Nesta etapa, deve-se estabelecer critérios e requisitos para auxiliar na escolha do fornecedor da RPA mais adequada para a organização. Dentre esses parâmetros, é possível avaliar questões como especificações técnicas, funcionalidades e preço.

Além disso, algumas empresas oferecem gratuitamente alguns dias de teste do produto, o que pode ser uma oportunidade para validar e confirmar se haverá implementação. Essa prática depende do tipo de RPA que se pretende contratar.

3. Implementar um piloto

Após a escolha do fornecedor mais adequado, é o momento de colocar em prática a execução do software. Para isso, é preciso garantir que os colaboradores da empresa sejam treinados para a utilização da ferramenta. Afinal, de nada adianta ter uma tecnologia de ponta se ninguém sabe utilizá-la, não é mesmo?

Além disso, é essencial que as atividades de aplicação do piloto sejam documentadas para gerar registros e serem analisadas. Através dessas afirmações, serão detectados possíveis problemas, necessidades de mudanças ou requisitos adicionais.

Portanto, essa terceira etapa é o momento para testar, cometer erros e solucioná-los.

 

4. Gerenciar o ciclo de vida

Quando o projeto piloto for testado e ajustado para a realidade da empresa, chegou o momento de implementar a solução considerada bem-sucedida. Esse é o passo a passo para colocar em prática as estratégias estabelecidas e o gerenciamento de mudanças.

 

5. Demonstração da Tess RPA Builder

Visando proporcionar uma experiência incrível e prática, a Pareto possui dentro do seu software a Tess RPA Builder, nela é possível solicitar uma automação dentre as inúmeras pré-definidas e inserir métricas e condicionais do negócio.

Além disso, permite a construção de RPAs personalizadas de acordo com a demanda da sua empresa!

robotic process automation: demonstração Tess RPA builder

Como funcionam as RPAs da Pareto

Tendo em vista o propósito de robotizar processos e reumanizar pessoas, as RPAs da Pareto vem com a perspectiva de auxiliar na rotina de trabalho das organizações. Assim, fazendo com que o ser humano possa focar em tarefas mais estratégicas e explorar a sua criatividade.

Com isso, nossas RPAs estão baseadas no conceito de “Time Back”, fazendo com que o ser humano ganhe preciosas horas do seu dia, deixando as milhares de tarefas repetitivas (porém necessárias) para as automações.

A seguir, você conhecerá um pouco mais sobre algumas das nossas RPAs e como elas podem ajudar na rotina de trabalho da sua organização. Mas existem muitas outras, além da possibilidade de criar sua própria RPA!

Não deixe de ler este outro artigo que traz o tema Automação para E-commerce: 5 RPAs da Pareto para aumentar as suas vendas.

Gestor de Orçamento Omnichannel OBM

O OBM é o gestor de orçamento da Pareto, que faz ajustes diariamente do orçamento diário das campanhas. Ao configurar é possível agrupar campanhas com o mesmo objetivo e definir o orçamento do mês.

Todos os dias, a Tess analisará a performance das campanhas de Google, Facebook e ajustará o orçamento automaticamente.

Com poucos cliques, você automatiza a gestão de orçamento das suas campanhas, não deixa de gastar, nem ultrapassar o budget do mês. Além de não cometer o erro de limitar os orçamento em campanhas de boa performance.

Veja mais detalhes do OBM e como ele facilita a gestão de orçamentos de Google Ads e Facebook Ads com IA neste artigo.

LeadScoring

O LeadScoring é uma RPA focada em Leads. Ela permite o monitoramento do formulário do seu site e atribuição automática de uma pontuação para cada lead captado. Assim, será possível ter uma visualização de qualidade dos leads dentro das plataformas de anúncio.

Por exemplo, uma empresa B2B poderá dar uma pontuação maior para contatos que preencham o formulário com um e-mail corporativo, e uma pontuação menor para e-mails pessoais.

Os leads qualificados serão enviados para as plataformas do Google e do Facebook, já com a pontuação estabelecida. Assim você otimiza suas campanhas tendo como base a qualificação dos leads, dando a possibilidade de otimização por ROAS.

LeadMapper

Esta RPA também foca na qualificação dos leads. Ela conecta os dados do seu CRM, que são centralizados pela Pareto Data Warehouse, onde a Tess (I.A. da Pareto) avaliará o ICP (Ideal Customer Profile).

Em seguida, enviará essas informações para as plataformas do Google e do Facebook, passando a mostrar dados baseados nas vendas finais, melhorando a visibilidade e otimização.

BI for Agencies – O Dashboard do Sonhos

Um dos maiores desafios de uma agência é garantir que a operação de gerenciamento de mídia paga de seus clientes funcione conforme o planejado.

Acesse projeções de cada conta em tempo real de forma detalhada e visual; filtre por gerente de contas, clientes ou customize de acordo com a sua necessidade; acompanhe métricas em destaque por período; analise suas metas de CPA, ROAS, CPV e CPC.

Toda informação que necessita está estruturada e acessível com apenas alguns cliques.

Otimização de Estoque

Todo e-commerce sabe que fazer a gestão de estoque de produtos de diferentes tamanhos demanda tempo e organização. Agora, para combinar essa gestão de estoque com os anúncios de mídia paga, a dedicação precisa ser ainda maior.

Imagina anunciar um vestido lindo, mas que só possui o tamanho PP? A empresa está correndo o risco de atender apenas poucas pessoas. Além do que, produtos com poucas opções disponíveis naturalmente possuem baixa taxa de conversão. E geram descontentamento por parte do usuário.

Com base nessa situação, desenvolvemos uma RPA focada na Otimização de Estoque. Para isso, utilizamos seu arquivo de feed de produtos do site e ajustamos para que seja mais assertivo na divulgação dos seus produtos no Google Shopping e no Remarketing Dinâmico, tanto do Google quanto do Catálogo do Facebook.

API de Conversão

Em 2020, o Facebook anunciou a nova política do iOS 14 e anunciantes Web. Com ela, indústria, plataformas, anunciantes e profissionais de marketing a tiveram que adaptar estratégias e estruturas de conta devido à menor captura de dados dos usuários.

Conheça mais sobre a nova política IOS 14 neste link.

Com a API de Conversão, foi possível amenizar os impactos dessas mudanças. Ela contribui com o registro no Facebook Ads das principais interações, conversões e compras dos usuários em seu site. Nesse viés, dê adeus à falta de visibilidade das campanhas que mais convertem e aos problemas gerados pelas atualizações do iOS14.

O que achou das RPAs na rotina de trabalho?

Com isso, é notório que o uso de RPAs contribuem positivamente para o ambiente de trabalho, fazendo com que as pessoas foquem em atividades estratégicas e tenham uma maior produtividade. Assim, diante de um mercado repleto de novas tecnologias e mudanças constantes, a necessidade de otimizar o nosso tempo só cresce a cada dia. 

Por isso, a Pareto desenvolveu através de IA, a primeira Gerente de Mídia Paga do mundo. Isso faz com que possamos ter diversas otimizações e automações que efetuem tarefas repetitivas e analíticas, com o objetivo de melhorar a performance das campanhas e economizarmos tempo de trabalho. 

Para conhecer ainda mais as RPAs da Pareto, neste link você conhecerá um pouco mais sobre o nosso propósito e como realizar uma demonstração gratuita do software. 

Bitnami