Skip to main content

Como funciona a API de conversões do Facebook

By julho 18, 2022No Comments
api de conversões facebook: Imagem de programador jovem olhando para seu computador

O Facebook é a maior rede social existente. Por este motivo, é de se esperar que o alcance da sua plataforma de anúncios, o Meta Ads (antes chamado Facebook Ads), seja gigante. Quanto maior o alcance, maior a interação dos usuários.

Essas interações dos usuários podem ser captadas e monitoradas através de eventos. Estes eventos são utilizados pela aprendizagem de máquina dos sistemas do Facebook para disponibilizar diversas informações, e permitir a otimização de suas campanhas.

Existem duas formas de rastrear esses eventos:

  1. Pixel do Facebook
  2. API de Conversões

Na sequência, vamos falar um pouco mais sobre a API de conversões do Facebook e suas vantagens na captura de eventos.

O que é a API de conversões do Facebook?

 

Na linguagem mais técnica, uma API é um conjunto de aplicações que serve para intermediar a comunicação entre dois sistemas diferentes.

Portanto, a API de conversões é uma ferramenta que possibilita uma conexão direta entre o servidor de um site e o Meta Ads (o Facebook Ads). 

Através dessa conexão, as empresas passam a ter acesso a uma fonte de dados mais completa e confiável, cujos dados podem ser utilizados pelos seus anunciantes na otimização de campanhas.

 

Como funciona a API de conversões do Facebook?

 

A API de conversões do Facebook conecta o site diretamente aos anúncios do Facebook. Para garantir segurança e privacidade do usuário, seus dados são encriptados e ele passa a ser reconhecido por um código único de identificação. 

É com base nesse código que o Facebook consegue rastrear a movimentação do usuário, acompanhando-o desde o anúncio, sua jornada no site até a sua interação final.

 

Qual a diferença entre Pixel e API de Conversão?

 

Também na linguagem mais técnica, o Pixel é um bloco de código Javascript que é incluído no código-fonte do site. O qual permite identificar se os usuários estão executando tais eventos dentro do site. Sejam eles, visualizações de produtos, envio de lead, compra, etc.

As informações que o Pixel devolve ao Facebook permitem validar a entrega dos anúncios ao público-alvo correto, medir os resultados desses anúncios e até mesmo geração de novas conversões. Como falamos, essas conversões podem ser as mais diversas, como compras, assinaturas ou contratações de um serviço prestado.

É possível destacar três diferenças principais entre o Pixel e a API de conversão:

  1. Processo de instalação;
  2. Uso de cookies de terceiros;
  3. Como enviam os dados ao Facebook.

Instalação

Podemos dizer que a instalação do Pixel é mais estática. Pois, mesmo que seja feita, por integração com alguma plataforma de e-commerce ou através de algum plugin para sites, sempre resultará na inserção de um código no código-fonte do site.

Por sua vez, a API traz versatilidade em sua instalação, cujas técnicas variam de acordo com as características do site e/ou do negócio. 

Ela pode ser feita pelo gateway da API de conversões, por conexão direta com plataformas de e-commerce ou com plataformas de parceiros do Facebook (como gerenciador de tags do Google e Tealium). Também por integração direta com o site, usando programação. 

Essa última técnica de instalação requer o trabalho de um desenvolvedor. 

Uso de cookies de terceiros

No que se refere ao uso de cookies, ao contrário da API de conversões o Pixel utiliza cookies.

Uma vez que depende dos dados dos cookies para funcionar, o Pixel pode ter seu funcionamento afetado e até mesmo restrito se o usuário tiver, em seu navegador ou dispositivo, alguma ferramenta capaz de bloquear cookies, anúncios e/ou rastreamento.

Envio de dados

O último item de diferença entre o Pixel e a API é a forma como eles enviam os dados para o Facebook:

  • O Pixel envia dados coletados no lado do cliente (client-side)
  • A API envia os dados coletados no lado do servidor (server-side).

No rastreio no lado do cliente, os dados originados no navegador do usuário são enviados diretamente para o servidor externo. Enquanto que no rastreio do lado do servidor os dados, primeiramente, são enviados para o servidor web e depois enviados para o servidor externo.

A API de conversões também proporciona redução do custo por ação, aprimoramento da mensuração de atribuição e desempenho dos anúncios. Caso seja implementada sem o Pixel, maior controle dos dados coletados.

Apesar de parecerem funções concorrentes, o Pixel e a API de conversões podem ser usados como complemento um ao outro. 

Na verdade, usar os dois juntos é uma boa prática, inclusive recomendada pelo próprio Facebook. Já que também serão coletados dados que poderiam se perder se apenas o Pixel estivesse ativado.

 

Como configurar a API de conversões do Facebook?

Apesar de existirem várias modalidades de configuração diferentes para a API de conversões, o início do processo é o mesmo para todas elas. Uma vez que, em todas as modalidades, é necessário que haja acesso de nível Administrador ao Pixel que será conectado.

Logo, isso significa que, independentemente da quantidade de pessoas que possam acessar o Business Facebook da empresa, o usuário que for fazer essa configuração deverá ter acesso do tipo ‘Controle total’. Como podemos ver na imagem abaixo.

Tendo a certeza de que o Pixel já existe (caso não exista, neste link pode ser encontrado o passo a passo para criá-lo), é necessário abrir o Gerenciador de Eventos do Pixel em questão.

 

Passo a passo no Gerenciador de Eventos

Uma vez aberto, existem dois caminhos por onde a configuração da API pode ser iniciada, onde o primeiro fica na tela de Visão Geral. Nessa tela, o usuário deve clicar na opção “Adicionar eventos” e depois em “Usar a API de conversões”.

api de conversoes facebook: imagem do gerenciador de eventos do Facebook

 

Então, ao clicar nessa opção, aparecerá um pop-up com algumas informações iniciais, e no final dessas informações o usuário será questionado se deseja implementar manualmente ou através de alguma integração já existente.

api de conversoes facebook: imagem da plataforma com duas opções de instalaçãoPara seguir pelo segundo caminho, o usuário deverá ir em “Configurações”, rolar até o bloco de “API de conversões” e escolher alguma das três opções existentes, que são configurar com o Gateway da API, configurar manualmente ou por meio de alguma integração de parceiros.

Para os próximos passos, é necessário que já se saiba qual modalidade de configuração será utilizada.

O Facebook tem um guia onde as características principais de cada uma das técnicas de instalação são detalhadas e comparadas, e ele pode ser acessado clicando aqui. Em todas essas técnicas, há uma sequência de passos que deve ser seguida à risca para que a instalação ocorra como esperado. 

Já no caso da implementação manual, o processo se resume em escolher quais eventos serão rastreados no site, definir quais dados serão recebidos para cada um desses eventos e usar Programação para aplicar essas configurações no site.

Para a implementação via Gateway, o usuário deve adicionar os domínios que serão envolvidos nesse acompanhamento, escolher um endereço para o aplicativo do Gateway (e este endereço deve ser subdomínio de algum dos domínios da etapa anterior), escolher qual a estrutura será usada e configurar o DNS.

Devido à quantidade de parceiros, a implementação por integração com parceiros (como a plataforma de e-commerce Vtex, por exemplo) é a mais variada. Cada uma dessas integrações possui configurações particulares, já que são sistemas diferentes, mas basicamente se resumem em conectar o Pixel a uma plataforma externa.

 

Como a Pareto pode ajudar com a API de conversões do Facebook?

Uma vez que já se sabe o que é, como e por qual motivo usar a API de conversões do Facebook, é necessário ressaltar que sua instalação deve ser feita com toda a cautela possível.

Já que, erros nesse processo podem afetar negativamente a qualidade das informações rastreadas no site, prejudicando a análise de dados, otimização de campanhas e afins.

A Pareto está sempre focada no sucesso do cliente. Por conta disso, temos, em nosso cardápio de RPAs (Automações Robóticas de Processos), uma RPA voltada para a instalação e acompanhamento dos eventos de Facebook através da API de conversões

Através dessa RPA, a instalação da API de conversões do Facebook é feita de forma automatizada, melhorando a implantação em si e reduzindo o tempo gasto e a quantidade de erros humanos no processo.

Com isso, além de permitirmos que nossos clientes desfrutem de todos benefícios da API de conversões, conseguimos agregar maior qualidade nas informações de mídia paga, trazendo melhores resultados.

Agora, para saber mais sobre essa e outras automações da Pareto, acesse o site e faça uma demonstração gratuita com nosso time.

Bitnami